Capa

PUBLICIDADE

Após atentado contra índios Guajajaras, BR-226 permanece bloqueada no Maranhão

08 dezembro

Compartilhe essa Notícia:

A rodovia foi interditada após o atentado que matou dois caciques e feriu outros dois indígenas nesse sábado (7), no município de Jenipapo dos Vieiras.
De acordo com o coordenador da Fundação Nacional do Índio em Imperatriz (Funai), Guaraci Mendes, o atentado pode ter relação com os constantes assaltos que acontecem no trecho da rodovia federal que compreende as aldeias indígenas.
Os dois índios feridos estão internados na Unidade de Pronto Atendimento de Jenipapo dos Vieiras (UPA) sob proteção policial. Segundo o último boletim emitido pela Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão (Sedihop) um dos indígenas estava com hemorragia interna e aguardava ser transferido para o hospital em Presidente Dutra. Já o outro índio foi ferido em uma das pernas e tinha previsão de alta para este domingo (8).
Após o atentado, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, lamentou o ocorrido e informou que a Polícia Federal enviou uma equipe para o local e que o caso será investigado. Moro ainda disse que vai analisar a viabilidade do deslocamento da Força Nacional para a região. As polícias Civil e Militar e a Funai também acompanham o caso. Até o momento, nenhum suspeito do crime foi preso.

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB no Maranhão, Rafael Silva, informou que o órgão está preocupado com o novo ataque indígena que aconteceu um mês após o assassinato do líder indígena Paulo Paulino Guajajara, no Maranhão.






🇧🇷[BRA] URGENTE! Nesta manhã, na BR 226 que corta a terra indígena do povo Guajajara no Maranhão, na aldeia El Betel, um carro passou e atirou contra dois indígenas que estava de moto na estrada. Firmino Prexede Guajajara morreu na hora, Nelsi Olímpio Guajajara levou um tiro na perna e está ferido. Os indígenas voltavam de uma reunião de articulação pra defender seus direitos. No mês passado, Paulo Paulino Guajajara, que trabalhava como guardião da floresta defendendo o território indígena contra exploração ilegal, foi assassinado por madeireiros próximo ao local do novo crime contra os Guajajara. Até quando isso vai acontecer? Quem será o próximo? É preciso que as autoridades tenham uma olhar específico para os povos indígenas, vida estão sendo tiradas em nome do ódio e preconceito! Nenhuma gota mais de sangue indígena! . 🇬🇧 [ENG] URGENT! This morning, on BR 226, which crosses the indigenous land of the Guajajara people in Maranhão, in El Betel village, a car drove past and shot two Indigenous who were riding a motorcycle on the road. Firmino Prexede Guajajara died on the spot, Nelsi Olímpio Guajajara was shot in his leg and is injured. The indigenous people were returning from a meeting to defend their rights. Last month, Paulo Paulino Guajajara, who worked as a forest keeper defending indigenous territory against illegal logging, was murdered by loggers near the scene of the new crime against Guajajara people. Until when will this happen? Who will be the next one? The authorities must take a specific look at indigenous people, life is being taken in the name of hate and prejudice! No More Indigenous Blood!!! . 🇪🇸 [ESP] version en español en los comentarios . #povosindígenas #indigenas #paulopaulinoguajajara #genocidioindigena #direitoshumanos
Uma publicação compartilhada por Sonia Guajajara (@guajajarasonia) em

Segundo a Fundação Nacional do Índio (Funai), os índios foram atacados logo depois de saírem da aldeia Coquinho, onde lideranças de várias aldeias da região participavam de uma reunião com representantes da Eletronorte, para tratar da compensação aos índios pela passagem do linhão de energia elétrica dentro das terras indígenas.

Raimundo Guajajara morreu durante o ataque a índios em Jenipapo dos Vieiras no Maranhão — Foto: Divulgação/Apib

De acordo com o coordenador da Fundação Nacional do Índio em Imperatriz (Funai), Guaraci Mendes, o atentado pode ter relação com os constantes assaltos que acontecem no trecho da rodovia federal que compreende as aldeias indígenas.
Os dois índios feridos estão internados na Unidade de Pronto Atendimento de Jenipapo dos Vieiras (UPA) sob proteção policial. Segundo o último boletim emitido pela Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular do Maranhão (Sedihop) um dos indígenas estava com hemorragia interna e aguardava ser transferido para o hospital em Presidente Dutra. Já o outro índio foi ferido em uma das pernas e tinha previsão de alta para este domingo (8).
Após o atentado, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, lamentou o ocorrido e informou que a Polícia Federal enviou uma equipe para o local e que o caso será investigado. Moro ainda disse que vai analisar a viabilidade do deslocamento da Força Nacional para a região. As polícias Civil e Militar e a Funai também acompanham o caso. Até o momento, nenhum suspeito do crime foi preso.
O presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB no Maranhão, Rafael Silva, informou que o órgão está preocupado com o novo ataque indígena que aconteceu um mês após o assassinato do líder indígena Paulo Paulino Guajajara, no Maranhão.



Com informações do G1/MA
Após atentado contra índios Guajajaras, BR-226 permanece bloqueada no Maranhão Após atentado contra índios Guajajaras, BR-226 permanece bloqueada no Maranhão Reviewed by BM Mídias on 08 dezembro Rating: 5
⬇️⬇️ COMENTE AQUI ⬇️⬇️

Nenhum comentário:


Tecnologia do Blogger.

Ouça a Rádio Também