AGED e Prefeitura de Igarapé Grande discutem o projeto de construção de um abatedouro municipal

Compartilhe essa Notícia:

A coordenadoria de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (AGED/MA) esteve em reunião, nesta semana, com a Prefeitura de Igarapé Grande para tratar sobre o projeto de construção de um abatedouro no município e, também, da importância da criação e implantação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM). 

A reunião, que aconteceu na sede da AGED, contou com a participação do prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier, e de seus assessores, da coordenadora do Serviço de Inspeção da AGED, Clidilene Alencar, e a responsável técnica pelo Registro de Estabelecimentos de Carnes e Derivados, Geane Viana.

A coordenadora Clidilene informou que durante a reunião foram abordados temas como a importância da criação, estruturação e implantação do SIM, como forma de garantir a qualidade dos produtos de origem animal comercializados no município de Igarapé Grande e o consequente fortalecimento local das agroindústrias familiares e de pequeno porte. “Essa parceria entre AGED-MA e prefeituras vem se consolidando a cada ano e o objetivo maior é oferecer alimentos seguros e de qualidade a toda população maranhense”, afirmou a coordenadora.

Ao prefeito e sua equipe foi apresentada a necessidade de registro do abatedouro após construção, no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), para que a carne produzida seja comercializada legalmente para os outros municípios da região. Foi também abordada a possibilidade de formação de consórcio de municípios para possibilitar a regularização da cadeia da carne na Região.

Um produto com o selo do Serviço de Inspeção Estadual tem a garantia de qualidade e pode ser comercializado e consumido por toda a população maranhense. Com o registro no SIE, o abatedouro poderá comercializar sua produção em todo Estado.

Coordenado pela AGED, o SIE tem como objetivo inspecionar, fiscalizar e controlar aspectos higiênico-sanitários dos produtos. Além de cadastrar e credenciar estabelecimentos que comercializam e realizam as atividades de produção, armazenamento e beneficiamento de produtos de origem animal, comestíveis ou não, e originários de estabelecimentos que façam comércio intermunicipal, garantindo, assim, a oferta de alimentos seguros à população.

Deixe Seu Comentário Aqui!